MEL estuda processar Eliza Virgínia por convocar boicote ao Boticário

Comercial de Dia dos Namorados O Boticário
A peça publicitária de Dia dos Namorados da empresa O Boticário, vem causando polêmica por trazer casais LGBTs se presenteando, se por um lado a propaganda foi elogiada pela inclusão social, por outro foi vítima de ataques preconceituosos e de pedidos de boicote. 

Foi o caso de João Pessoa, onde a vereadora Eliza Virgínia (PSDB), utilizou a Tribuna da Câmara para pedir o boicote à marca. Em contrapartida, o presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL), Renan Palmeira, afirmou que vai acionar o jurídico do Movimento para processar a vereadora.

Para o Palmeira, a fala da vereadora tem a característica fundamental do preconceito, que é a exclusão da população LGBT. “Porque ela não pede o boicote pela má qualidade do perfume, mas convoca porque o perfume apresentou a temática LGBT, então é um discurso preconceituoso que faz apologia ao ódio e ao preconceito”, reclama. 

Por mais que a homofobia não seja criminalizada, Palmeira explicou que o discurso de ódio é perigoso e pode ser criminalizado. O MEL vai se reunir com a Comissão de Direitos Humanos da OAB, Defensoria, e o Núcleo Especializado de Direitos Homoafetivos para avaliar a possibilidade de um processo civil por apologia ao ódio.

Relacionadas

Destaques 8716906815240664257

Anúncio

Anúncio

Curta!

Vídeo lançamento do Portal da Zona Sul

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga!

item