Fotógrafo que matou professora é condenado há 17 anos de prisão


O fotógrafo Gilberto Lyra Stuckert Neto foi condenado a 17 anos de seis meses de reclusão em regime fechado pela morte da professora Briggida Rosely de Azevedo Lourenço no dia 19 de junho de 2012. O julgamento ocorreu durante esta segunda-feira (28) no Fórum Criminal de João Pessoa. Gilberto foi indiciado por homicídio qualificado. A decisão ainda cabe recurso.

Relembre o Caso - Na época, Gilberto teria ligado para a sogra dizendo que havia feito uma "besteira" e o corpo da jovem foi encontrado dentro do imóvel quando a mãe foi até o local. O velório de Briggida aconteceu no dia 20 de junho de 2012, no Parque das Acácias, na Capital. O sepultamento também ocorreu no mesmo dia, às 16h. Logo após o crime, Gilberto não foi localizado e reapareceu somente no dia 5 de março de 2013. 

Briggida trabalhava como professora universitária do curso de Arquivologia, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Ela foi morta asfixiada pelo marido Gilberto Stuckert Neto após uma discussão do casal, que estava separado e ele tentava reconciliação, depois de ter voltado de Brasília, onde trabalhava.

Relacionadas

Destaques 3968855567702403198

Anúncio

Anúncio

Curta!

Vídeo lançamento do Portal da Zona Sul

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga!

item